Pulgas e Carrapatos

Pulgas e Carrapatos

O controle de pulgas e carrapatos nos animais de estimação é muito mais do que cuidados habituais como banho e aplicação mensal de medicamento. Quando há infestação desses tipos de insectos, cerca de 95% dos carrapatos e 60% das pulgas estão presentes no ambiente.

As pulgas e carrapatos procuram ambientes adequados para sua reprodução.  As pulgas chegam a pôr entre 500 a 600 ovos e os carrapatos adultos, de 4 a 5 mil ovos. Assim a eliminação de uma fêmea adulta de carrapato significa a extinção de 5 mil prováveis larvas que iriam compor a geração do ano seguinte.

O maior problema das pulgas é a velocidade com que se multiplicam. Uma única pulga pode gerar até 3 milhões de descendentes em 2 meses.

As pulgas sugam sangue e uma só é capaz  de picar um cão ou gato mais de 400 vezes em um dia. Além do risco de anemia e do incômodo das picadas, se o seu animal for alérgico (à saliva da pulga) pode desenvolver uma dermatite que coça muito. A coceira permanente leva a infecções na pele e perda de pelos.

Os carrapatos também são hematófagos, ou seja, alimentam-se de sangue (inclusive dos humanos).

No ser humano as doenças transmitidas pelo carrapato são a Febre Maculosa  e a Doença de Lyme.  Todas estas doenças podem levar a um quadro grave e até matar se não tratadas a tempo. Elas não são transmitidas de pessoas para animais e vice versa. A transmissão ocorre exclusivamente pela picada do carrapato (no homem, ele precisa ficar pelo menos 4 horas preso à pele).

Por isso a prevenção é muito importante, existem vários produtos no mercado para controlar a infestação por carrapatos.

Os ambientes mais propícios para a reprodução destas pragas são as frinchas de paredes ou muros, que podem servir de abrigo.

No caso da pulga, locais com acúmulo de pó são os preferidos para sua instalação e proliferação. Já o carrapato, após abandonar os hospedeiros (cachorros, cavalos, boi e até o homem), passa 90% de sua vida no ambiente.

Além de acarretar doenças aos animais domésticos – como dermatite alérgica, viroses, salmonelose e peste bubônica – pulgas e carrapatos podem também transmitir vírus e bactérias ao homem.

Por isso, a limpeza e higienização de todo o ambiente onde os animais domésticos circulam são fundamentais para garantir a saúde e o bem-estar de toda família.

Para evitar a infestação ou agir para o controle de pulgas e carrapatos, é necessária uma acção conjunta de tratamento do animal e do ambiente. A lavagem semanal de objectos como panos, cobertores e brinquedos é uma das formas de precaver a infestação de pulgas e carrapatos nos ambientes.

Recomendações:

  • Manter a casa limpa e aspirada (utilizar o aspirador de pó com saco descartável auxilia na remoção de ovos e larvas presentes no ambiente).
  • Lavagem e aplicação de insecticidas indicados das áreas da casa.
  • Nos jardins e quintais, o cuidado com a vegetação e a limpeza frequente são factores muito importantes para evitar ambientes húmidos e adequados para o desenvolvimento de larvas.
  • Lavar com frequência cobertores, panos e roupas dos animais.
  • Manter o local em que eles vivem sempre limpo.
  • Evitar carpetes em casas com animais, pois são um local propício à proliferação de pulgas.
  • Dar banhos antipulgas e utilizar produtos de longa duração em gotas ou spray.
  • Se o cão está infestado dê banhos antipulgas ou carrapaticidas com intervalos de uma semana a 15 dias.
  • Não aplicar produtos insecticidas em fêmeas gestantes, ou animais com ferimentos abertos.
  • Consultar o veterinário para a escolha dos produtos e dosagem segura para seu animal.

 

Em caso de constatação de grande infestação de pulgas e carrapatos no ambiente, consulte sempre um especialista na área de saúde ambiental. Actualmente, existem cerca de 2 mil espécies de pulgas e 800 espécies de carrapatos no mundo.

 

Entre os mais populares, estão os que se hospedam nos animais de estimação como as pulgas das espécies Pulex, Ctenocephalides, Ctenocephalides felis felis e o carrapato vermelho do cão, Rhipicephalus sanguineus. Além de parasitas externos, ectoparasitas e vetores de microorganismos como bactérias, protozoários e vírus, os carrapatos são transmissores de doenças sérias como a febre maculosa, por exemplo, que é transmitida pelo carrapato estrela (Amblyoma cajenense) e que pode levar os seres humanos à morte.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s